Azenha é um tipo de mecanismo capaz de aproveitar a energia cinética da movimentação das águas para desempenhar diversos tipos de funções, como moer grãos; irrigar ou drenar grandes terrenos e até gerar eletricidade. Entre seus sinônimos estão as palavras moinho e atafona, sendo este último também o nome de uma região do litoral norte do estado do Rio, que até recentemente abrigava a foz do rio Paraíba do Sul.

Graças à intervenção humana, o encontro entre o Rio e o oceano Atlântico não acontece mais em Atafona, pois cerca de 60% de suas águas são represadas para abastecer cidades no Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais, fato que conjugado com a maior crise hídrica enfrentada pela Bacia do Paraíba, entre 2014 e 2019, diminuiu drasticamente o nível do rio na região, movendo a foz para a praia de Gargaú, na cidade de São Francisco de Itabapoana.

Outra característica marcante de Atafona são os efeitos que o processo de erosão costeira vem causando sobre a região. Centenas de casas já foram cobertas pelo mar, desde a década de 50, tornando a praia em uma espécie de sítio arqueológico parcialmente submerso. A ação do mar sobre a costa constrói uma paisagem híbrida repleta de ruínas, que evidencia uma relação violenta entre natureza e arquitetura, e segue em acelerada transformação.

Os trabalhos apresentados nesta série são desdobramentos de um projeto de longa duração, iniciado em 2019 durante um período de residência artística na Casa Duna, espaço independente de arte localizado em Atafona. Todas as imagens foram produzidas a partir de câmeras analógicas, utilizando filmes diapositivos com prazos de validade vencidos. O processo de revelação dos filmes utilizados é conhecido como E-6, e é realizado de forma não automatizada, usando produtos químicos cada vez mais raros no mercado. Além disso, devido à baixa demanda, cada dia menos lugares oferecem esse serviço, realizado de forma artesanal, o que ocasiona um alto preço e baixa produção. Alguns desses laboratórios alertam que irão descontinuá-lo assim que seus estoques de químicos terminem. Outro procedimento operado no desenvolvimento do projeto é a utilização de filmes vencidos em diferentes épocas, trazendo mais uma camada de imprevisibilidade ao resultado.

Vista da exposição Azenha – Museu de Arte de Ribeirão Preto – 2020